Como os trabalhadores podem barrar a retirada de direitos?

Saiba o que pode perder caso as "reformas" trabalhista e previdenciária sejam aprovadas

Escrito por: Redação Spbancários • Última modificação: 19/06/2017 - 12:49 • Publicado em: 19/06/2017 - 12:43 Escrito por: Redação Spbancários Publicado em: 19/06/2017 - 12:43 Última modificação: 19/06/2017 - 12:49

Fabiana Tamashiro/Spbancários

A luta dos trabalhadores por nenhum direito a menos está sendo marcada por diversos protestos em várias partes do país e de forma continuada. Os movimentos sindicais também se preparam para mais uma grande mobilização, a greve geral prevista para o final deste mês de junho.
 
Mas, antes disso, um esquenta será realizado no dia 20, nos locais de trabalho, com os dirigentes reforçando junto aos trabalhadores a importância de aderir à greve para barrar o desmonte da Previdência, das leis trabalhistas e por Diretas Já.
 
Quer saber mais sobre como será esse dia? Então, assista ao MB com a Presidenta que falará da importância de uma grande adesão e de como a união e a luta dos trabalhadores poderão barrar as votações no Congresso.  
 
O programa de webtv que vai ao ar ao vivo, às 20h, na segunda 19, pelo site e pelas redes sociais do Sindicato, será apresentado pela secretária-geral eleita do Sindicato. Participam dessa edição Douglas Izzo, presidente da CUT-SP, e  Edson Carneiro, o Índio, secretário-geral da Intersindical.
 
O que você perde

Com a aprovação das "reformas" trabalhista e previdenciária, o trabalhador poderá perderá direitos como: carteira assinada, férias, 13º salário, acesso gratuito à Justiça, trabalho remunerado e com jornada estipulada, aposentadoria, entre outros.

Participe

Para participar, envie dúvidas e comentários para debate@spbancarios.com.br, via Twitter usando #MBemDebate ou ainda pelo YouTube Facebook.

 

Título: Como os trabalhadores podem barrar a retirada de direitos?, Conteúdo: A luta dos trabalhadores por nenhum direito a menos está sendo marcada por diversos protestos em várias partes do país e de forma continuada. Os movimentos sindicais também se preparam para mais uma grande mobilização, a greve geral prevista para o final deste mês de junho.   Mas, antes disso, um esquenta será realizado no dia 20, nos locais de trabalho, com os dirigentes reforçando junto aos trabalhadores a importância de aderir à greve para barrar o desmonte da Previdência, das leis trabalhistas e por Diretas Já.   Quer saber mais sobre como será esse dia? Então, assista ao MB com a Presidenta que falará da importância de uma grande adesão e de como a união e a luta dos trabalhadores poderão barrar as votações no Congresso.     O programa de webtv que vai ao ar ao vivo, às 20h, na segunda 19, pelo site e pelas redes sociais do Sindicato, será apresentado pela secretária-geral eleita do Sindicato. Participam dessa edição Douglas Izzo, presidente da CUT-SP, e  Edson Carneiro, o Índio, secretário-geral da Intersindical.   O que você perde Com a aprovação das reformas trabalhista e previdenciária, o trabalhador poderá perderá direitos como: carteira assinada, férias, 13º salário, acesso gratuito à Justiça, trabalho remunerado e com jornada estipulada, aposentadoria, entre outros. Participe Para participar, envie dúvidas e comentários para debate@spbancarios.com.br, via Twitter usando #MBemDebate ou ainda pelo YouTube e Facebook.  



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.