Servidores públicos de SP farão paralisação nesta sexta, dia 27

Ato na Avenida Paulista terá início às 16h

Escrito por: Redação - CUT São Paulo • Última modificação: 25/10/2017 - 17:47 • Publicado em: 24/10/2017 - 13:08 Escrito por: Redação - CUT São Paulo Publicado em: 24/10/2017 - 13:08 Última modificação: 25/10/2017 - 17:47

Arte: Maria Dias/Secom CUT-SP

Na próxima sexta-feira, 27, servidores públicos do estado de São Paulo irão cruzar os braços contra o sucateamento e as privatizações das empresas públicas e a falta de valorização da categoria. Um grande ato está programado na Avenida Paulista, a partir das 16h, organizado pelas centrais sindicais, entre elas a CUT, e sindicatos do conjunto do funcionalismo público.

Também estão previstas ações e  assembleias em diferentes pontos da capital e da Grande São Paulo (confira abaixo).  

No começo de outubro, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) enviou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 920/2017, que prevê a limitação dos investimentos públicos por dois anos, impactando setores da saúde, educação e demais serviços. O PL chega em uma conjuntura em que os serviços públicos estaduais sofrem com o sucateamento e os servidores com a falta de valorização. Além disso, a gestão do PSDB articula privatizações das empresas estatais.

A medida segue os moldes do congelamento, por 20 anos, dos investimentos públicos proposto pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB). Além disso, no plano nacional, a Reforma Trabalhista e a terceirização sem limites aprovadas pelo governo trarão impactos no funcionalismo, precarizando ainda mais o trabalho desses funcionários.

Confira a mensagem do presidente da CUT-SP, Douglas Izzo:

 

 

Título: Servidores públicos de SP farão paralisação nesta sexta, dia 27, Conteúdo: Na próxima sexta-feira, 27, servidores públicos do estado de São Paulo irão cruzar os braços contra o sucateamento e as privatizações das empresas públicas e a falta de valorização da categoria. Um grande ato está programado na Avenida Paulista, a partir das 16h, organizado pelas centrais sindicais, entre elas a CUT, e sindicatos do conjunto do funcionalismo público. Também estão previstas ações e  assembleias em diferentes pontos da capital e da Grande São Paulo (confira abaixo).   No começo de outubro, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) enviou à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei 920/2017, que prevê a limitação dos investimentos públicos por dois anos, impactando setores da saúde, educação e demais serviços. O PL chega em uma conjuntura em que os serviços públicos estaduais sofrem com o sucateamento e os servidores com a falta de valorização. Além disso, a gestão do PSDB articula privatizações das empresas estatais. A medida segue os moldes do congelamento, por 20 anos, dos investimentos públicos proposto pelo governo ilegítimo de Michel Temer (PMDB). Além disso, no plano nacional, a Reforma Trabalhista e a terceirização sem limites aprovadas pelo governo trarão impactos no funcionalismo, precarizando ainda mais o trabalho desses funcionários. Confira a mensagem do presidente da CUT-SP, Douglas Izzo:    



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.