Trabalhadores do Consórcio Viracopos aprovam pauta de reivindicações

Pauta contempla reivindicações como vale alimentação de R$ R$ 420,00, PLR de R$2.000,00 convênio médico e odontológico

Escrito por: vanessa • Publicado em: 25/10/2012 - 12:34 Escrito por: vanessa Publicado em: 25/10/2012 - 12:34
Trabalhadores da Constran e Triunfo aprovam pauta de reivindicações - Foto: Sindicato dos Trabalhadores na Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e RegiãoTrabalhadores da Constran e Triunfo aprovam pauta de reivindicações - Foto: Sindicato dos Trabalhadores na Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região

Sindicato dos Trabalhadores na Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região

Em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira, dia 25 de outubro, os trabalhadores e trabalhadoras do Consórcio Viracopos (formado pelas empresas Constran e Triunfo) aprovaram uma pauta de reivindicações que será entrega aos patrões pelo Sindicato dos Trabalhadores na Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região.

Segundo o diretor do Sindicato, Amilton Mendes, dois pontos chamam a atenção. O primeiro refere-se à informação de que o Consórcio estaria estabelecendo uma política de contratação por meio de uma agência de empregos. ??A agência até pode fazer a triagem, mas na carteira quem deve contratar é a Triunfo e a Constran?, explica o diretor.

Outra questão, de cunho administrativo, refere-se ao adiantamento salarial, que não vem sendo cumprido pelo Consórcio. ??Apesar de estar na pauta, vamos exigir que o pagamento do adiantamento salarial ocorresse já em novembro, porque está na lei?, defende Amilton Mendes. Trabalhadores e diretores do Sindicato também se posicionaram contra o Banco de Horas.

A pauta contempla também as seguintes reivindicações:

- Vale Alimentação de R$ R$ 420,00 (Mesmo patamar da Replan)

- PLR de R$ 2.000,00 (Mesmo patamar da Replan)

- Lanche da Tarde

- Convênio médico e odontológico

- Folga de Campo

- Fim da burocracia para troca de EPIs (equipamento de proteção individual)

- Adicional noturno de 20%

- Banheiro químico limpo e suficiente

- Discutir sobre adicional de periculosidade

- Garantia de Segurança no local de trabalho

Sindicato de Campinas é quem representa os trabalhadores

Cerca de 300 trabalhadores participaram da assembleia realizada Aeroporto de Viracopos. Por unanimidade, os companheiros e companheiras confirmaram que quem os representa é o Sindicato dos Trabalhadores da Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região. O Sindicato da Construção Pesada de São Paulo chegou a promover encontros com os trabalhadores na obra de Viracopos, mas a obra é aqui em Campinas e a categoria deu o seu veredito: A construção da luta será feito com a união em torno do Sindicato de Campinas.

Já havia sido criada uma comissão de trabalhadores, que foi mantida, por respeito a uma decisão dos companheiros e companheiras. Porém, o Sindicato vai reivindicar também estabilidade no emprego para estes trabalhadores. ??A comissão tem de ser representativa e também fazer sua parte?, afirma o diretor do Sindicato, Luiz Albano da Silva.

Consórcio assina TAC após fiscalização encaminhada pelo Sindicato

Criado pelas construtoras Constran e Triunfo para executar a obra de ampliação do aeroporto de Viracopos, em Campinas, o Consórcio Construtor Viracopos assinou no dia 27 de setembro um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) perante o Ministério Público do Trabalho se comprometendo a regularizar a chamada ??área de vivência? do canteiro, segundo as normas trabalhistas.

A ??área de vivência? é o local onde o trabalhador faz as refeições, descansa, usa o banheiro e troca de roupas durante o expediente de trabalho.

Durante fiscalização realizada no dia 25 de setembro, o  MPT e o Ministério do Trabalho flagraram um refeitório montado de forma improvisada em um antigo galpão já existente no local. O número de assentos e mesas era insuficiente para o número de trabalhadores da obra.

Havia apenas dois banheiros para atender 300 homens, sendo que nenhum deles possuía papel higiênico, sabonete, toalhas ou pias em bom funcionamento. Um dos sanitários tinha a passagem obstruída por entulhos.

Além disso, não havia vestiários, o que obrigava os trabalhadores a fazer a troca de uniforme em locais improvisados, e também não havia o fornecimento de água potável.

No TAC, o consórcio se obriga a criar e manter áreas de vivência segundo o disposto na Norma Regulamentadora nº 18, legislação dedicada ao setor de construção civil. A obrigação deve ser cumprida em 30 dias.

Caso descumpra o TAC, o consórcio pagará multa de R$ 5 mil por item infringido.

Título: Trabalhadores do Consórcio Viracopos aprovam pauta de reivindicações, Conteúdo: Sindicato dos Trabalhadores na Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região Em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira, dia 25 de outubro, os trabalhadores e trabalhadoras do Consórcio Viracopos (formado pelas empresas Constran e Triunfo) aprovaram uma pauta de reivindicações que será entrega aos patrões pelo Sindicato dos Trabalhadores na Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região. Segundo o diretor do Sindicato, Amilton Mendes, dois pontos chamam a atenção. O primeiro refere-se à informação de que o Consórcio estaria estabelecendo uma política de contratação por meio de uma agência de empregos. ??A agência até pode fazer a triagem, mas na carteira quem deve contratar é a Triunfo e a Constran?, explica o diretor. Outra questão, de cunho administrativo, refere-se ao adiantamento salarial, que não vem sendo cumprido pelo Consórcio. ??Apesar de estar na pauta, vamos exigir que o pagamento do adiantamento salarial ocorresse já em novembro, porque está na lei?, defende Amilton Mendes. Trabalhadores e diretores do Sindicato também se posicionaram contra o Banco de Horas. A pauta contempla também as seguintes reivindicações: - Vale Alimentação de R$ R$ 420,00 (Mesmo patamar da Replan) - PLR de R$ 2.000,00 (Mesmo patamar da Replan) - Lanche da Tarde - Convênio médico e odontológico - Folga de Campo - Fim da burocracia para troca de EPIs (equipamento de proteção individual) - Adicional noturno de 20% - Banheiro químico limpo e suficiente - Discutir sobre adicional de periculosidade - Garantia de Segurança no local de trabalho Sindicato de Campinas é quem representa os trabalhadores Cerca de 300 trabalhadores participaram da assembleia realizada Aeroporto de Viracopos. Por unanimidade, os companheiros e companheiras confirmaram que quem os representa é o Sindicato dos Trabalhadores da Construção, Mobiliário e Montagem de Campinas e Região. O Sindicato da Construção Pesada de São Paulo chegou a promover encontros com os trabalhadores na obra de Viracopos, mas a obra é aqui em Campinas e a categoria deu o seu veredito: A construção da luta será feito com a união em torno do Sindicato de Campinas. Já havia sido criada uma comissão de trabalhadores, que foi mantida, por respeito a uma decisão dos companheiros e companheiras. Porém, o Sindicato vai reivindicar também estabilidade no emprego para estes trabalhadores. ??A comissão tem de ser representativa e também fazer sua parte?, afirma o diretor do Sindicato, Luiz Albano da Silva. Consórcio assina TAC após fiscalização encaminhada pelo Sindicato Criado pelas construtoras Constran e Triunfo para executar a obra de ampliação do aeroporto de Viracopos, em Campinas, o Consórcio Construtor Viracopos assinou no dia 27 de setembro um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) perante o Ministério Público do Trabalho se comprometendo a regularizar a chamada ??área de vivência? do canteiro, segundo as normas trabalhistas. A ??área de vivência? é o local onde o trabalhador faz as refeições, descansa, usa o banheiro e troca de roupas durante o expediente de trabalho. Durante fiscalização realizada no dia 25 de setembro, o  MPT e o Ministério do Trabalho flagraram um refeitório montado de forma improvisada em um antigo galpão já existente no local. O número de assentos e mesas era insuficiente para o número de trabalhadores da obra. Havia apenas dois banheiros para atender 300 homens, sendo que nenhum deles possuía papel higiênico, sabonete, toalhas ou pias em bom funcionamento. Um dos sanitários tinha a passagem obstruída por entulhos. Além disso, não havia vestiários, o que obrigava os trabalhadores a fazer a troca de uniforme em locais improvisados, e também não havia o fornecimento de água potável. No TAC, o consórcio se obriga a criar e manter áreas de vivência segundo o disposto na Norma Regulamentadora nº 18, legislação dedicada ao setor de construção civil. A obrigação deve ser cumprida em 30 dias. Caso descumpra o TAC, o consórcio pagará multa de R$ 5 mil por item infringido.



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.