Trabalhadores na Toyota aprovam acordo com garantia de emprego

PLR será paga em duas parcelas, sendo a primeira neste mês e a seguinte em dezembro

Escrito por: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC • Publicado em: 09/06/2017 - 11:02 Escrito por: Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Publicado em: 09/06/2017 - 11:02

Adonis Guerra

Na manhã de quarta (7), os tra­balhadores na Toyota, em São Bernardo, aprovaram o acordo negociado pelo Sindicato com a empresa, que garante estabilidade no emprego, renovação de cláusu­las sociais da Convenção Coletiva de Trabalho, a CCT, data-base e a Participação nos Lucros e Resul­tados, a PLR.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, fez uma análise da situação econômica do setor automotivo aos companheiros na montadora japonesa. Ele destacou que essa negociação foi mais difícil do que a anterior, em 2014, quando o cenário era mais favorável, e que, apesar disso, foi possível, com insistência, manter patamares da PLR de 2016.

“Nossas últimas negociações fo­ram feitas quando a expectativa de produção era de quatro milhões de veículos ao ano e hoje temos um mercado de 2,2 milhões”, lembrou.

“O trabalhador entendeu que estamos dando um passo impor­tante para continuar crescendo, mesmo com as adversidades que o Brasil nos impõe”, avaliou o presi­dente após a aprovação do acordo na assembleia.

A PLR será paga em duas par­celas, sendo a primeira neste mês e a seguinte em dezembro. “Em função da crise, a empresa tentou rever o acordo em 2016, mas não aceitamos mudar o acordo de longo prazo que tínhamos”, contou o coordenador do CSE na fábrica, José Carlos de Souza, o Trovão.

“Nas últimas semanas a Toyota quis reduzir a PLR, mas não aceitamos trazer uma proposta reduzida para a assembleia e in­sistimos, no mínimo, em manter o que já havíamos conquistado”, completou.

O dirigente destacou ainda que os representantes dos trabalhado­res não aceitaram alterações nas cláusulas referentes aos acidenta­dos e trabalhadores com doença ocupacional.

“Essa cláusula para o Sindicato é sagrada, não vamos permitir nada que retire direito de traba­lhador acidentado ou que adquiriu doença ocupacional”, finalizou.

Título: Trabalhadores na Toyota aprovam acordo com garantia de emprego, Conteúdo: Na manhã de quarta (7), os tra­balhadores na Toyota, em São Bernardo, aprovaram o acordo negociado pelo Sindicato com a empresa, que garante estabilidade no emprego, renovação de cláusu­las sociais da Convenção Coletiva de Trabalho, a CCT, data-base e a Participação nos Lucros e Resul­tados, a PLR. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Rafael Marques, fez uma análise da situação econômica do setor automotivo aos companheiros na montadora japonesa. Ele destacou que essa negociação foi mais difícil do que a anterior, em 2014, quando o cenário era mais favorável, e que, apesar disso, foi possível, com insistência, manter patamares da PLR de 2016. “Nossas últimas negociações fo­ram feitas quando a expectativa de produção era de quatro milhões de veículos ao ano e hoje temos um mercado de 2,2 milhões”, lembrou. “O trabalhador entendeu que estamos dando um passo impor­tante para continuar crescendo, mesmo com as adversidades que o Brasil nos impõe”, avaliou o presi­dente após a aprovação do acordo na assembleia. A PLR será paga em duas par­celas, sendo a primeira neste mês e a seguinte em dezembro. “Em função da crise, a empresa tentou rever o acordo em 2016, mas não aceitamos mudar o acordo de longo prazo que tínhamos”, contou o coordenador do CSE na fábrica, José Carlos de Souza, o Trovão. “Nas últimas semanas a Toyota quis reduzir a PLR, mas não aceitamos trazer uma proposta reduzida para a assembleia e in­sistimos, no mínimo, em manter o que já havíamos conquistado”, completou. O dirigente destacou ainda que os representantes dos trabalhado­res não aceitaram alterações nas cláusulas referentes aos acidenta­dos e trabalhadores com doença ocupacional. “Essa cláusula para o Sindicato é sagrada, não vamos permitir nada que retire direito de traba­lhador acidentado ou que adquiriu doença ocupacional”, finalizou.



Informa CUT-SP

Cadastre-se e receba periodicamente
nossos boletins informativos.